25 de setembro de 2006

Igualdade? Não obrigada!

Como de costume, domingo fui à exposições, passei na livraria cultura e acabei o dia numa mesa de restaurante. Copos vazios e amigos falando ao mesmo tempo. O sempre polemico Mr. E chegou atrasado. Foi receber a herança da avó, um túmulo! Veio acompanhado de um amigo francês, músico, que sofria de “estresse visual”.

Falávamos de política quando o tal amigo, usando todo o seu charme e sotaque, resolveu “ensinar” sobre política e igualdade social.
Citou passagens da bíblia e ensinamentos da sua filosofia (ele acreditava que nós humanos, havíamos desviado dos princípios básicos da felicidade, entre eles, o mais importante, igualdade social).


Igualdade? E quem foi que disse que Deus prega igualdade. Eu, ignorando a cara de “não começa” dos amigos, continuei com minha opinião.
Não sou dada a discussões religiosas, até porque crenças são pessoais e eu sou um tanto cética.
A história das religiões, porém, me leva a crer que deus, seja ele qual for, não é, e nunca foi a favor de igualdade.

“Criou” pessoas de todas as cores em todo canto desse mundo. Os homens, esses sim adoram inventar problemas. Primeiro, a igreja inventou o tal do pecado (só mesmo pessoas de muito mau gosto, para transformar um prazer num pecado). Tudo isso além dos que já nascem defeituosos física ou intelectualmente.


O francês do outro lado continuava discordando.
Mr. E já fazia aquele olhar de “depois reclama que os homens não te entendem”.
Alguém, tentando evitar maiores constrangimentos, começou a falar sobre a Londrix, feira de literatura de Londrina. O restaurante virou sarau por alguns minutos e cada um teve sua chance de falar sobre algum poeta. Eu escolhi Mullá Nasrudin:

Nasrudin tinha um pacote de balas na mão e disse para um grupo de meninos que estava por perto: Vou dar essas balas para vocês. Querem que eu distribua segundo a lei dos homens ou segundo a lei de Deus? Segundo a lei de Deus, disseram os meninos. Então Nasrudin deu uma bala para um menino, duas para outro, o resto do saquinho para outro e deixou todos os outros chupando dedo. Eles reclamaram e Nasrudin respondeu: Ora, foram vocês que escolheram a lei de Deus. Igualdade é lei dos homens.

Será que não foi uma boa escolha?

10 comentários:

bruni... disse...

Falar sobre religião é um problema sério... É como a vida, cada um tem a sua...
Mas concordo com vc! Gostaria de estar frente a frente com esse Deus tão aclamado pela grande massa, e bater um papo...
Saber o porque de muitas coisas, mas não sei se isso mudaria minha maneira de pensar...
Minha familia sempre foi religiosa... Minha vó estudou sobre religiões a vida toda, tive oportunidade de participar e apreciar a cultura de muitas religiões...
A conclusão é o começo do meu comentário...
É como a vida, cada um tem a sua...
Acredite no que quiser, mas acima de tudo tenha fé em vc...

Ana Paula disse...

Giovanna... adorei esse post!! eu odeio falar de religião!! na facul quer comprar briga feia comigo é querer discutir religião!!!

Amanda F. disse...

Olá Giovanna, encontrei seu blogger, na parte de usuários, e adoro ler seus posts, nesse caso, agiria como vc nessa reunião... não deixaria sufocar minha opinião diante de uma 'unilateral'.

Também, não gosto de discutir religião, mas um dia tds caem nessa discussão, e no fundo sabemos que foi preciso a muito tempo atrás discutir a respeito. Qndo algumas pessoas começaram a questionar a 'Tal Igreja', é que algumas coisas mudaram.. será que não deveriamos fazer o mesmo diante de várias questões opressoras???

Adorei seu blogger, estou montando o meu profissional (RPensar) e tenho o meu fotolog, que antes só postava fotos e festas, hj começo a discutir assunto mais sérios!

Abraços!

Aninha disse...

oi Giovanna!! a Vivian vai enfrentar sérios desafios ainda... não perca o próximo capitulo!!

Anônimo disse...

Interessante o seu ponto de vista, porém vou ter que pensar um pouquinho antes de dar minha opinião.

Você é de Londrina?!

Alexandre disse...

A Lei de Deus, A voz de Deus...Acho que Deus anda dormindo demais ultimamente...

Não costumo ficar indicando blogs alheios mas talvez voce goste deste aqui:
http://tucaleidoscopio.zip.net

É de um fotógrafo chamado Tuca Vieira.Não é meu amigo,não,só estou indicando pelas fotos lindas da cidade.

Leandro Jardim disse...

Adorei!

Exatamene o que penso! Concordo com você em tudo... sugiro fazer um texto desses pra cada ideal da Revolução Francesa... por exemplo "liberdade", pensa bem, quem a tem? Se somos medo e desejo como poderemos ser livres? E a "fraternidade"... o uso dela nos discursos políticos, por exemplo, pode ser criminoso como se vê... hehe

Além disso minha mãe sempre cita alguma histórinha genial do Nasrudin, adoro, essa é uma delas!!!

bjs bjs

Leandro Jardim disse...

Topo! qual você escolhe? eu fico com o outro ;)

Sobre me linkar, é claro, será uma honra... eu já havia tomado a liberdade de fazê-lo com você! :P

bjs

diovvani disse...

Esse Nasrudin, arruma saida pra tudo, não é? Pois é moça, tem assuntos que dão pano pra manga e a mesma, não fica pronta nunca. Temos o nome, quase idêntico. MontanhosoAbraçoDasMInasGerais.

Bebel disse...

A mediocridade humana faz com que sejamos excessivamente politicamente corretos, tornando a lucidez um defeito e não uma qualidade. Os medíocres dão o peixe, os lúcidos ensinam a pescar. Na diferença estão a graça e o carma de cada um. Faça o melhor que puder, sempre, e nem sempre o melhor é o dar.

Giovanna, você é genial!!!! Mulheres assim são tão interessantes e admiráveis que dão medo...mas não o tenha, os bons estarão com você.

Com amor.
Uma desconhecida