21 de novembro de 2006

Quem Somos Nós?

“Folow the white rabit”. Quem já viu, mesmo que menos de dez vezes(como eu), o filme Matrix, sabe do que estou falando.

O ano era 1999. Uma artista brasileira, vivendo em New York, assiste a primeira de muitas outras vezes, o filme dos irmãos Larry e Andy Wachowski.
Uma pílula vermelha, muitos conceitos filosóficos, e um herói que poderia ser qualquer um de nós. Muitos efeitos especiais e a idéia de ser nossa mente, um computador programável para vencer ou perder.

A artista, desiludida, depois que os irmãos geniais resolveram esquecer a filosofia e vender jogos ao invés de filmes, voltou aos livros e se contentou em ser Trinity , apenas nas festas a fantasia.
Prédios caíram, guerras mataram como jogos, homens reais sem motivos racionais. A fé ou fanatismo foi mais longe ainda, destruiu vidas em nome de algum Deus, provavelmente um mesmo Deus com nomes diferentes morando logo ao lado.

Quase seis anos se passaram. Outro filme se tornou a tal pílula vermelha da artista insatisfeita com o mundo real. O tema agora é científico.
A artista, acreditem, resolveu se aprofundar nessa loucura chamada por alguns gênios ou alucinados de física quântica!
O filme é “Quem somos nós”. Se algum dia, por algum tempo você já se perguntou de onde viemos, ou então o que estamos fazendo aqui, este filme é para você (qualquer um dos vários vocês espalhados por aí).

Adoraria saber a opinião de quem já viu o filme, afinal, ainda que a artista que vive em mim, insista em me dizer que muito desse filme, já existia na filosofia budista, no conceito do samsara, etc...
Ainda que eu tenha achado tudo sensacional, qualquer idéia que me faça lembrar Osho, é desconfiável. Vou ler mais um pouco sobre o assunto, quem sabe assim aprendo a manipular meu mundo, a meu favor.

4 comentários:

Lady Marmelade disse...

Cara, nunca vimos o filme, mas só a forma como você fala dele já nos deixou curiosos!
Iremos procurar!
APAREÇA EM NOSSO BLOG TAMBÉM

Serjones disse...

eu não vi, mas me disseram que é muuuuito boumm. arrrai, hihi... uoooi.

Caco disse...

Assiti. O assunto é profundo e demora até que você absorve tudo. Mas vale a pena. Já fiz um post sobre os cristais de gelo...




Abraço & stay splendid.

Mariana disse...

Ei. Assisti o filme. É incrível. Vc fica para o resto da vida olhando o mundo e as pessoas de forma diferente.

Concordo com vc, a filosofia budista (e a espírita tb, sou espírita) diz de forma diferente, mas querendo dizer a mesma coisa, sobre o tema.

Adorei o post!