14 de maio de 2007

Pastel do Alemão

O Marcelo Rubens Paiva diria que é uma PENECO (pequena neurose contemporânea), eu prefiro acreditar que é apenas um hábito.
Não confio em qualquer um para fazer minha comida, acabo cozinhando todos os dias.
Acho uma loucura essas pessoas que passam a vida toda comendo “qualquer coisa”.
Outro dia fui à feira, enquanto esperava ficar pronta a garapa com limão, reparei num moço ao meu lado. Comia um pastel como se fosse o próprio banquete da Babete.


Não agüentei e perguntei do que era. Ele respondeu que era o pastel do Alemão, uma delicia, apesar de não saber o que tinha dentro.
Quer dizer que poderia ser queijo, presunto, palmito ou rabo de lagartixa, que para ele estava tudo bem?
Eu não consegui parar de pensar no homem do pastel o dia todo. Será que ele sempre comia aquele pastel sem nunca saber do que era? Quem sabe ele já soube, no primeiro dia em que pediu o tal pastel do Alemão, mas depois se acostumou e acabou esquecendo. Ou seria só mais um pastel de queijo e nem existe o tal pastel do Alemão? Não, ele não estaria tirando uma com a minha cara, estaria?

De qualquer forma, o tal pastel não saiu da minha mente.
Ontem meus sobrinhos vieram em casa. Na hora de escolher o que queriam comer a briga começou. Um não queria nenhum verdinho, outra não pode ver pedaços de cebola e o outro não come nada que voa.
A solução veio na hora.
Crianças, hoje tem uma surpresa. Pastel do Alemão!
É uma receita secreta e ninguém pode saber o que tem. Não é que deu certo!

9 comentários:

Eduardo disse...

Muito boa!

beijos,

Dudu

Anônimo disse...

...vamos descubrir que gosto tem*!!!

José António disse...

Os alemães para além daquela língua e do ar de quem passa a vida na geleira, sempre servem para alguma coisa. Boa ideia!

Fábio C. Martins disse...

Minha mãe possuía umas técnicas como essas e quando fiquei sabendo do que se tratava, vixe.. peguei aversão ao conteúdo.

Por isso, hoje eu sempre pergunto antes de levar à boca. Até mesmo quando vou em restaurantes, sempre acabo perguntando, caso não esteja discriminado no "menu".

Beijos

Lorenzo disse...

Gio,

Se for tão bom quanto a coalhada seca nem precisa contar qual o recheio...

beijo do Enzo

Lusófona disse...

Olá Giovanna!!

Obrigada pelo comentário!
Eu também aplico alguma"psicologia infantil" com os meus sobrinho... a criatividade sempre funciona..rs

Beijos

Luly disse...

Oi!

Eu também gosto de fazer minha comida. E ainda procuro balancear, escolher bem os ingredientes, saber se estou comendo de tudo pra ficar saudável. PENECO? Que seja! Enfim, que tenha tudo, feito um pastel do Alemão... rs


Bjs.

Marcio Pimenta disse...

Hahahahahahahah!!!! Lembre de Hannibal, acho que no segundo filme da série, quando ele prepara o jantar para os convidados. Beijos!

André disse...

Agora fiquei curioso...