18 de junho de 2007

Adeus máscaras

Nunca gostei de máscaras. Ainda pequena tinha mania de arrancar as máscaras dos palhaços ou monstros. Queria saber quem estava do outro lado. Afinal, uma máscara de guerreiro, pode esconder um fraco.

Da mesma forma que a máscara seduz, destrói uma paixão. O que pode ser mais triste do que descobrir que por trás da máscara não existe nada? Que por trás da espada existe dúvidas?

Sentimentos e palavras podem construir muito, mas apenas se vierem de uma pessoa real. Palavras vãs são como máscaras, um dia acabam caindo...

A criança se assusta e chora ao ver que o guerreiro não passa de um menino. Mas a criança cresce e aprende a conhecer as máscaras. Logo, não se lembrará mais do guerreiro e nem da espada.

O menino por trás da máscara, não. Se esconde dele mesmo e do espelho sem nunca enfrentar-se de frente. Acredita enganar o mundo, mas o mundo que construiu por trás da máscara parece tão real que o engana.

Não gosto de máscaras. Por isso a partir de hoje meu blog não aceita mais comentários anônimos.
Se você quer deixar um comentário, vou adorar, mas use sua senha do google. Quem tem orkut por exemplo já está cadastrado, se não basta se cadastrar.

E quanto aos mascarados, quem sabe no carnaval? Podemos até nos divertir juntos, mas só até quarta feira de cinzas...

2 comentários:

Marcelo Coelho Filho disse...

KKKKKKKKKKK...

Muito bom esse post,Giovanna.

Ser Anônimo deve ser uma desgraça mesmo.

um beijo, linda amiga

juliana disse...

A máscara omite, esconde, assusta, encobre, distorce, confunde, burla a realidade de um covarde que não se expõe, não se aceita, não é!
A-D-O-R-E-I
ESTOU CONTIGO NO BLOCO DAS DESMASCARADAS!!!!!!!!!!!
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
BEIJOS!