22 de outubro de 2006

Camaradagem * * * *



Um casal vivendo segundo regras de amizade e companheirismo. Igualdade entre os sexos. Será que funciona? Esta é a discussão de um dos dramaturgos mais incríveis do século passado. August Strindberg (1849/1912), sueco, nascido em Estocolmo. Homem de letras, novelista, poeta, pintor, considerado um dos maiores renovadores do idioma sueco, idealizador do “teatro íntimo”.
Provavelmente o fracasso de seu primeiro casamento foi um dos motivos pelo qual ele se interessou tanto sobre o tema desta peça, Camaradagem (depois de escrever esta peça ele se casou e separou duas vezes,tudo isso no século passado).
O grupo Tapa levou para o palco, pequeno e intimista, toda a bagagem de um escritor que conviveu com artistas como Edward Munch e Gauguin.
A brilhante direção de Eduardo Tolentino surpreende nos mínimos detalhes. Pode ser pura coincidência, mas encontrei uma semelhança entre a Bertha (personagem da peça) e Betrha de Freud (um dos casos mais conhecidos de histeria).
Certo mesmo foi o fato de Srindberg ter lido grande parte da obra de Freud e ser um dos primeiros a discutir a idéia da psicanálise, além de ter recebido cartas de Nietzsche.
Sua arte, possuía um vanguardorismo inequívoco, embora tenha demorado para ser reconhecida, hoje é considerada precursora do que viria a ser o expressionismo abstrato americano dos anos 50.
Embora retrate as mulheres de forma cruel, não deixa de ser magnífico assistir a esta guerra dos sexos, atual ainda hoje.
Minha dica para quem for assistir a esta ótima montagem é; Ligue antes para reservar (38011843) e tente chegar cedo. Não ha lugares marcados e o palco é baixo, o melhor lugar é mesmo na primeira fila (onde me sentei). Preste atenção nos diálogos, mas não deixe de notar a força que tem o silencio bem representado. Assim como na pintura, os espaços vazios também dizem muito.

Camaradagem, de August Strindberg. Direção de Eduardo Tolentino, com o elenco do Grupo Tapa.Viga Espaço Cênico — r. Capote Valente, 1.323, Pinheiros, São Paulo, SP, tel. 0++/11/3801-1843. Quinta a sábado, às 21h; domingo, às 19h. Até 29/10/06. R$ 20 e R$ 30.

8 comentários:

HS disse...

Nice blog, nice work, nice art !

:-D

Parabéns.

Nao tem Sentido disse...

Deve ser bacana. Será que Porto Alegre está na lista da tour? Bjo!

Edd disse...

Hey!

Márcio Pimenta disse...

Giovanna é cultura!!!

Adoro os livros que você relaciona como seus preferidos.

Beijos!

André disse...

Legal este texto de Strindberg, vc conhece o texto "A dança da Morte"?

GIOVANNA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
GIOVANNA disse...

resposta ao André:
Já li o belissímo e simbológico texto "Dança da Morte", sobre a agonia do casal que amou todas as gotas de um amor e agora esperam juntos a morte. Nunca vi uma montagem,mas imagino ser muito forte. Gosto do estilo,ainda que radical e maxista,do Strndberg

Edd disse...

Lí O Retrato de Dorian Gray três vezes. Foi quase uma obssessão. Já leu De profundis, também do Wilde? É triste, mas feliz. Parabéns pelo bom gosto. Abraço.