30 de julho de 2007

O menino e a Bruxinha

A história não começa aqui, mas é daqui que vai continuar. O menino ao lado, que embora já tivesse uma história sua para contar, resolveu entrar no meio desta pra mudar o final sem graça que já tinha passado da hora de acabar.

Eles estavam sentados numa adega esquentando suas idéias com muito vinho e um pouco de pimenta, que arde os olhos, mas faz ver a verdade. O menino vinha de longe, de um castelo que não era encantado, sem princesa e nem risadas. Comeu muitos pastéis, não contou piada, deu risadas e no final do domingo frio foi que a coisa toda aconteceu.

Conheceu a bruxinha malvada, que de Malvada, só tinha o nome, herdado de uma antiga planta, Malva sylvestris, usada para curar a infelicidade. Tudo isso e mais as estrelas foi o que contou a bruxinha naquela noite ao menino. Ele, sem querer que a noite acabasse, tirou uma música tão linda do seu violão que Cronos, o deus do tempo, comovido, ofereceu muitas horas a mais para que a noite do menino e da Bruxinha não acabasse.

Conta à lenda que os dois fugiram juntos e nunca mais foram vistos, mas nas noites frias de inverno, quando Bacos é chamado e taças de vinho oferecidas, ouve-se ao longe a música do menino, tocando para a Bruxinha...

3 comentários:

julio disse...

sim, sim... todos os apaixonados ouvem esses acordes...

sim, sim... todos os apaixonados ouvem esses acordes...

"Menino ao Lado" disse...

Esse conto está guardado em um lugar especial!!!Como vc teve o Dom de colocar em palavras um dia ,que começou como outro qualquer,porém mais frio, e terminou em uma história que foi super interessante por si só,porém melhor ainda contada por vc!!!Mil Beijos

Caco disse...

Imaginação condensada.
Valeu a pena voltar aqui para saber das novidades.
Beijo & stay naughty.