14 de setembro de 2007

Quer saber? Vai entender...


Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

(Clarice Lispector)

3 comentários:

Fábio C. Martins disse...

Como diria o "velho deitado". A ignorância é uma virtude. Tem horas que gostaria de ser um ignorante completo a ter consciência de certas coisas.

Beijos e bom final de seman.

Fabiano Roberto disse...

uma vez ouvi dizer que a formula da felicidade é a saúde e a ignorância...

mas sou curioso demais portanto espero que isso não seja verdade.

julio de castro disse...

'entender' é a função do cérebro. e graças à deus também temos pele.