15 de julho de 2007

Sarkozy endoidou, resolveu cuidar da saude.

Que coisa estranha, acabo de descobrir que todo o meu posicionamento político foi por água a baixo, ou melhor, saiu suando. Não fui eu quem falou. Foram os franceses.

Vocês sabiam que correr agora é de direita? Isso me coloca tão endireitada que dá até torcicolo. Mas fiquei confusa. Pedalar pode? Ou será que os chineses são todos de direita também? Também não entendi outra coisa, o intelecto e o esporte são como água e óleo?


Para representantes da intelectualidade de esquerda, o ato de correr todo dia, além de ser direitista, também é não-francês. O filósofo Alain Finkelkraut, um dos queridinhos da mídia francesa, defende a posição com argumentos pretensamente sofisticados. “A civilização ocidental, em seu melhor sentido, nasceu com a caminhada”, disse Finkelkraut. “Andar é um ato sensível e espiritual. Correr é administração do corpo.” Parte dos franceses cultiva a imagem de que seus presidentes e seus principais políticos devem ser intelectuais, não esportistas. É inadmissível para Finkelkraut que Sarkozy saia com as pernas de fora, suando a camiseta, simplesmente para cuidar da saúde.(revista Época)

Concordo. Onde já se viu um presidente que se preocupa com a própria saúde, isso é um ultraje. E suar então? Coisa de gente de carne e osso imagina se um francês sua. Franceses são intelectuais, cheirosos, tomam banho de perfume, possuem um tipo superior de inteligência nada artificial. Deveriam ter inventado essa moda antes, pelo menos antes da copa do mundo.

4 comentários:

julico disse...

se um intelectual francês de esquerda correr (ou não tiver os tênis da moda) ele é expluso da turma? isso explica pq não devemos correr nas saídas "à francesa".

Johnny disse...

Pois é...
Por aqui já tivemos um presidente praticante de cooper. E fazia isso usando camisetas com frases de efeito.
Um passado nada "collorido".

Obrigado por sua visita!

Flávia Brito disse...

Isso quer dizer que atletas e intelectuais não podem conviver no mesmo corpo? Hum... concepção estranha, parecida com aquele que afirma que mulheres tem que ser burras.

Obrigada por retribuir a visita. Para não perder o caminho, linkei seu blog...

Beijos!

Gabriela Vargas disse...

Que esquisito isso, gente!
Ainda bem que moramos no Brasil. rsrsrs